21/02/2017

Máquina de brincar

O livro infanto-juvenil A Máquina de Brincar, escrito pelo autor gaúcho Paulo Bentancur, tem gerado polêmica nas redes sociais. Janilda Prata, moradora do município de Guarapari e mãe de duas meninas, compartilhou em sua página pessoal do Facebook um post criticando a obra. O comentário teve mais de 76 mil compartilhamentos e mais de 22 mil curtidas.

O livro foi distribuído em escolas públicas do Brasil para estudantes matriculados no Ensino Fundamental.

Leia o post:

“Todos sabem como incentivo leitura para minhas filhas desde bebê. O contato das crianças com os livros passa por várias fases. Primeiro eu lia para elas, depois eu lia com elas e hoje elas lêem sozinhas. Na hora de comprar um livro eu olho a capa, o tema, a sinopse, sobre o autor e a faixa etária. Depois peço que elas me falem sobre o que leram. Achei que isso era mais do que suficiente até o dia em que Ana Ester (9 anos) disse: "Mãe, tem algo errado com esse livro, no meio dele encontrei uma página "para ler no escuro" e depois coisas horríveis...". “Me desculpe o autor, mas se alguém torna uma obra pública, eu tenho o direito de criticar e emitir minha opinião. Um livro para criança que invoca o diabo para ser amigo da mesma, diz que Deus não aparece porque é covarde e pequenino e termina dizendo que o capeta venceu para mim é uma literatura totalmente imprópria. Não venha me dizer que isso é poesia. Isso, para mim, é pura heresia. Estou indignada por ter colocado algo assim na minha casa e nas mãos das minhas filhas. Que critério usar quando compro livros infantis? Vou ter que ler antes todas as páginas? Como algo assim pode ser liberado para publicação e considerado literatura infantil?”, disse.

https://www.youtube.com/shared?ci=8ggGAh_Q1Gs

A Bíblia do Guerreiro, a estação de tratamento e abastecimento onde você precisa parar todos os dias. O remédio mais eficaz para tratar o seu coração é a Palavra de Deus.