05/02/2015

A conquista

Jesus foi severo com aqueles que usavam a religião como fonte de lucro por ser contra o badalado tráfico de influência ou mau uso do poder. Isto seria manipular recursos celestiais tangíveis e intangíveis, para conquistar espaço em um sistema ao qual não devemos nos ligar. 

Palavras de Jesus: "O meu reino não é deste mundo e vocês estão no mundo, mas não pertencem a ele e nem ele lhes pertence. Existe um lugar condizente com a sua fé, ao qual prepararei, lá poderão conquistar espaço, mas usando os recursos corretos". Enquanto esperam, não misturem as coisas, usando recursos celestiais para conquistar a Terra, ou recursos ter reais para conquistar o Céu.
Isto não significa, que devamos rasgar a nossa certidão de nascimento, rejeitar a nossa cidadania e desprezar os recursos materiais, desde que não o façamos maquiavelicamente.

Seria uma loucura adquirir bens de uso próprio, com recursos pertencentes ao Reino. Ora o Reino de Deus está em nós e não nas coisas que possuímos ou ambicionamos. Riqueza é acidental e não proposital, a menos, que sejam adquiridas visando acrescentar recursos para construir o Reino de Deus em corações humanos.

Há um ponto de equilíbrio nestas coisas: não queremos tudo, mas também não queremos o nada. Jesus dava para César o que era de César, sem deixar de dar para Deus, o que sempre foi dele. O problema não está em ter mas no abrir mão de valores eternos como honestidade, justiça e bondade, para adquirir valores passageiros. Não há nenhuma dificuldade com o fazer, mas no como fazer.

Jesus não tinha onde reclinar a cabeça pois a sua missão exigia este tipo de desapego. Se você descobrir qual é a sua missão, saberá também o que deve pegar e o que deve largar no chão deste planeta.

Lembre-se, apenas, que lugar de lixo é no lixo e não na sua sala de estar.

A Bíblia do Guerreiro, a estação de tratamento e abastecimento onde você precisa parar todos os dias. O remédio mais eficaz para tratar o seu coração é a Palavra de Deus.