29/07/2015

Segurança nos limites da cerca virtual

"

"Eu não sou cachorro não". Começo este artigo com uma bela frase de Waldique Soriano , um iletrado filósofo popular. 

Tem gente no Face, latindo como se fosse um cachorro atrás de um portão, se sentindo seguro atrás de uma telinha virtual fornecida por alguma rede social. 

O dedo em riste à distância late e rosna, imaginando: — O povo lá fora, que ouça meus latidos e imagine o quão perigoso sou.

— Aí que medo!! 

Surtos de  violência virtual são muito usados para afastar pulgas e carrapatos e esconder o gatinho assutado do mundo real. Bicho grande não se impressiona com latidos de um bacezinho abusado, nem de um poodle arrepiado. 

Quem tem medo de você é só você mesmo. Talvez não se aceite e aproveita a falsa proteção do mundo virtual para desenhar na tela, uma pessoa como gostaria de ser. 

Seja você mesmo, goste daquilo que você é e viva a vida como o seu inventor planejou. Conheça e viva a verdade, a mentira é uma gambiarra existencial, que afasta você de si mesmo e dos demais. 

A verdade pode até doer, mas liberta.

A verdade sobre você, é a seguinte:  raça pura criada por Deus. 

Não é cachorro abandonado, rasgador de saco de lixo, correndo atrás de um dono e à procura de um afago. 

Seja você mesmo, não se invente, assuma o modelo pré moldado pelo maior dos artistas: Deus. 

Tenha um doce encontro consigo mesmo.

A Bíblia do Guerreiro, a estação de tratamento e abastecimento onde você precisa parar todos os dias. O remédio mais eficaz para tratar o seu coração é a Palavra de Deus.