04/11/2013

Casamento precisa de papel passado?

Rute: 4. 5. "Disse, porém, Boaz: No dia em que comprares o campo da mão de Noêmi, também tomarás a Rute, a moabita, que foi mulher do falecido, para suscitar o nome dele na sua herança".

O casamento dos tempos bíblicos era oficialmente reconhecido e não um ajuntamento que não necessitasse de um procedimento litúrgico e uma regulamentação estabelecida pelas leis de seu povo.

No início este procedimento ocorria dentro das famílias, pois era assim que as sociedades se organizavam em tempos remotos. Na época de Boas e Rute, já havia uma estrutura nacionalizada, onde algumas cidades pertenciam a nação israelita. Já fora instituida a carta de divórcio, o que faz com que se suponha haver uma Carta de Casamento.

Rm 13.1. 'Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as que existem foram ordenadas por Deus. Por isso quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação'.

O casamento, portanto, incluia uma cerimônia onde se oficializava a união e era buscada a bênção de Deus e se firmava um contrato reconhecido pelas autoridades.
Sendo Israel, um estado teocrático, nenhum evento social oficial era feito sem invocar a presença de Deus.

A Igreja se tornou uma entidade socialmente registrada, uma exigência das próprias autoridades. Nos submetemos a isto porque a Bíblia nos manda agir assim.

Não é um pedaço de papel nem um momento litúrgico que fazem um casamento, mas um pacote de procedimentos que incluem cerimônia e papel. Acrescentemos a esta receita o amor, a fidelidade, o romance, a compreensão, a sensibilidade, a fidelidade, o compromisso de assumir um ao outro até que a morte os separe, entre tantos outros detalhes.

E sejam felizes para sempre.

Ubirajara Crespo

A Bíblia do Guerreiro, a estação de tratamento e abastecimento onde você precisa parar todos os dias. O remédio mais eficaz para tratar o seu coração é a Palavra de Deus.